Biografia – O Jogo Nao Para

Após a conquista do título nacional com a equipe do Comunicaciones, da Guatemana, em 1997, Tita parou de jogar profissionalmente. O elo com o futebol, no entanto, era tão forte que o afastamento dos gramados durou apenas um ano. Nesse período o ex-jogador pegou sua família e partiu para os Estados Unidos. O objetivo era estudar inglês e oferecer aos filhos o aprendizado de uma nova cultura.

Ao voltar ao Brasil, decidiu então se preparar para voltar ao futebol. Tita fez os cursos da Associação Brasileira de Treinadores e da Associação de Treinadores do Rio de Janeiro, que eram pré-requisitos para uma graduação na Itália. Decidido pela carreira de treinador, em 1999 fez estágio de 3 meses no Vasco da Gama, clube que abriu as portas para ele. Estudioso, o ex-jogador fazia observações dos adversários e alimentava os treinadores com material valioso. Pela aplicação e qualidade do trabalho, foi contratado pelo clube e atuou como observador do Vasco no Mundial de Clubes da Fifa, em 2000, em que o time carioca terminou como vice-campeão.

Como funcionário do Vasco, Tita passou a ser auxiliar do técnico Antônio Lopes e depois de Abel Braga. Em 2000 teve a primeira oportunidade como técnico ao comandar o Americano, que fez campanha surpreendente terminando na quinta colocação na classificação geral. No mesmo ano, assumiu interinamente a equipe do Vasco nas finais contra o Flamengo, quando Abel deixou o clube.

No intuito de ganhar experiência, Tita partiu para trabalhos fora do Brasil. Dirigiu por uma temporada o Urawa Reds, do Japão. Tomado pelo desafio, seguiu posteriormente para os Estados Unidos. No Texas trabalhou na equipe do El Paso, da Segunda Divisão.

De volta ao Brasil, passou por América, Bangu, Caxias do Sul e Remo. Neste ano de 2006 atuou como observador do Japão para a disputa da Copa do Mundo da Alemanha. Logo depois aceitou convite de Zico e assumiu o comando do CFZ do Rio que, ao completar uma década de fundação, busca vaga na elite do futebol carioca.

Com 5 anos de carreira, Tita é um treinador pronto para aprender, disciplinador e detalhista. E que traz na ponta da língua uma lista com os profissionais de futebol que o influenciaram.

“Cláudio Coutinho, Carpegiani, Lazaroni, Zagallo, Rinus Michels, Giovani Galione, Victor Manuel, Curdo Lopes, Nelsinho Rosa e Joel Santana são alguns dos principais nomes. Mas acho que todos os que me comandaram me influenciaram de alguma forma”, conta Tita.